quarta-feira, 18 de maio de 2016

por que esse sotaque do ceará tem isso?
um caminhar sem apuro nas ramas
antes fosse das ramblas de quando recebi carícias de um alien

você já imaginou abraçar a criança desconhecida?

e perverter a palavra do pai dela?
em um mês...
esse sotaque faz

os sotaques carregam esse karma também, pois
quando ele sai do seu estado de origem
passeia pelas ruas de caicó e pelos corredores de um pequeno apartamento no bairro de acampamento
ele apaga a beleza dos cemitérios da cidade
cujas lápides nunca vi noutro canto
com a assinatura em cobre ou banho de ouro
tal qual a pessoa em vida assinava

e fecham-se as portas,
as lápides sem nome

pela liga dada deste sotaque

nunca mais subscrevem

quarta-feira, 4 de maio de 2016

tema para a distância

enquanto o glaucoma não ser sintomático
e apenas meu grau aumentar, tendo lentes que o corrige
eu poderei ter minha visão periférica
e, naqueles momentos em que transito ignorando o contato visual direto contigo,
vejo teu olhar acompanhando

porque dentre as coisas observáveis citadas antes
deixei olvidar as que não observo com cautela
as formadas pelos borrões dos limites visuais
quando passeio na sua frente saindo do quarto, indo ao banheiro, indo a outro quarto, falando sozinha e você respeita

quanto mais terei de escrever sobre estradas para poder te olhar nos olhos no dia que precede a partida?

ou quanto mais violarei ferozmente meu lábio superior ante as dezesseis horas, ou as três da madrugada de todo domingo?

falo de estar distraída,
acordar chorando com lembrança de música
e seguir a placa dos bordados finos de caicó achando que chegarei àquele quarto de hotel

e à caipirinha

e...