segunda-feira, 9 de junho de 2014

ser poeta

quão ordinário é
assemelhar-se a todos
os que houveram,
e há e hão
há milênios
de fazer das palavras
enxada, espinho

quando vejo, dou fim
a todas as letras
que ribombavam
(baixo a cabeça)
e elas acabam
findam sem se rematar

assim:


(maldita símile
digo isto
mas baixo)

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. eta!
    viemos do pó
    voltaremos a ele
    e neste momento
    o eta fica
    o pó se esvai..

    ResponderExcluir