terça-feira, 3 de maio de 2011

Reforma

Mal edificado e frágil
Ultrapassado, tão bambo
Cai, espalhado
Acortinando fumaça e só
Que vento dissipa e suja

Mas por entre os entulhos
D'outra construção
Veio-me um tijolo perfeito,
Perdido na esquina, sem dono
Que fez o ridículo à toda
Sua grande propriedade

Que revitalizem você
Longe, no breu
Longe d'ele e eu
Ou alto d'onde eu, tijolo
Possa fazer mais ele
Dois tijolos caminhos
N'um só caminho rasteiro

2 comentários:

  1. Sua subjetividade impressiona!

    ResponderExcluir
  2. Tão bom quanto uma cerveja geladàn.

    ResponderExcluir